Testemunhos, provas, evidências…. Quem (ou, o que?) está nos informando sobre o passado?

Algumas dicas para servirem como um guia de leitura dos textos que irei discutir na próxima aula. A primeira, é sobre como os historiadores chegam até o passado. Nos textos veremos que esses meios de apreensão que possuímos são conhecidos como fontes, testemunhos e até mesmo, em um sentido mais científico para o termo, de evidências. De qualquer forma, podemos ter certeza de que esses documentos, produzidos de diferentes maneiras, chegaram até nós e nos informam sobre o passado de uma maneira indireta, pois nunca teremos a mesma observação do passado como temos do tempo presente. Além do mais, fica uma dúvida bem atrás da orelha de todo tipo de pesquisador sobre quais documentos podem passar maior segurança sobre os “acontecimentos”, ou “fatos”, que estamos propondo a estudar. Dentro desse emaranhado de tijolos, pinturas, textos e metais, procuramos selecionar as testemunhas mais fidedignas, principalmente aos nossos “modelos” (ou f[ô]rmas), e que nos auxiliam a responder as questões que procuramos na historiografia. Isso vale para nós, historiadores modernos, e também para os antigos (como o caso do nosso amigo Flávio Josefo – a fonte da próxima aula). Para mim, e também para Marc Bloch, esse tipo de preocupação pode ser evidenciado por uma brincadeira de criança: o telefone sem fio. Ou seja, estamos sempre com muito medo de que os testemunhos que chegaram até nós serem produto de adulterações e até mesmo de mentiras deslavadas. Você começa com não vá para a esquerda , pois lá tem um buraco, e o último a receber essa notícia cai nele. Para isso, nos preocupamos com uma metodologia de análise documental e com o apoio de modelos históricos dominantes (e também porque um dia podemos jogar a culpa neles). Atualmente, estamos cercados de uma ditadura do presente nas análises históricas. Não me cabe aqui julgar se considero isso ruim ou bom, embora concorde com ele, mas é possível perceber que nossas preocupações presentes, como a globalização, gênero, homossexualidade e etc… estão em voga nas pesquisas em história antiga e que as fontes são lidas de inúmeras maneiras das quais não consigo relatar nesse breve texto. Mas, apesar dessa grande revolução na arte de se fazer e pensar a história, muitas das vezes, é preciso ter cuidado com o critério de julgamento que carregamos sobre nossos testemunhos e sobre o tipo de testemunhos que usaremos em nossas análises. Como exemplo, cito essa reportagem que analisa a sobreposição (de IMPORTÂNCIA e VERACIDADE) entre uma fonte literária e um fonte material, produzida pelo jornal F(a)-O-LHA de São Paulo.

Vale a pena dar uma olhada e relacionar com os textos que temos para pensar o nosso ofício e a disciplina de Antiga. Afinal, haja documentação para ser, por nós, trabalhada e questões a serem formuladas.

Por isso, fico com a dica de Lewis Caroll, autor do “Alice no país das maravilhas”: o importante é saber quais perguntas podemos fazer para as fontes e, mais ainda, saber “quem é o senhor da pergunta”? Pois, concordando com Marc Bloch novamente, podemos afirmar que “O passado é, por definição, um dado que nada mais modificará. Mas o conhecimento do passado é uma coisa em progresso, que incessantemente se transforma e aperfeiçoa.” (BLOCH, 2001: 75)

alicepic_04

Anúncios

2 pensamentos sobre “Testemunhos, provas, evidências…. Quem (ou, o que?) está nos informando sobre o passado?

  1. Olá professor, bom dia? estou em duvida a qual cronograma de leitura seguir, se é os textos que estão descritos no catalago de fontes ou que esta no cronograma da disciplina, por que as mesmas datas se coincidem com leituras diferentes
    Aguardo sua resposta
    Eder Moreira – Historia
    RA 1271279

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s