Mini- Cursos na ANPUH

Foi divulgada a lista dos STs e minicursos aprovados para o XXVII Simpósio Nacional de História da ANPUH, em Natal, de 22 a 26 de julho de 2013. 

Site da Anpuh

Mini- Curso: Usando a Wikipédia para o ensino de História

EMENTA:
O curso pretende apresentar de maneira aprofundada o funcionamento e os conceitos por trás da Wikipédia, a maior enciclopédia do mundo, e as diferentes formas como esse material tem sido utilizado na aprendizagem de História por alunos do ensino básico e superior.

A Wikipédia não é uma fonte de informação totalmente confiável e completa em artigos sobre História, mas é largamente utilizada como material didático em todos os níveis de ensino, até mesmo à revelia do
professor. Cabe aos docentes, na tão propalada explosão do acesso à informação, saber capacitar os estudantes na interpretação crítica dos artigos, na busca de fontes fiáveis e na percepção de que eles mesmos também podem ser produtores de conhecimento, na medida em que podem editar os artigos, aprendendo a escrever de forma clara e objetiva. Questões paralelas, tais como o problema do plágio, a autoria coletiva, o acesso livre, a relevância enciclopédica e a imparcialidade também serão discutidos, a partir de sua relação com o ensino e a aprendizagem de História. O curso tem como ponto final uma parte prática, em que os alunos aprenderão procedimentos básicos de edição de artigos.

PROGRAMA:
aula 1 – Estrutura e navegação na Wikipédia; os 5 pilares e as consequências do formato da Wikipédia para o uso e difusão da informação.

aula 2 – O Wikipedia Education Program; a Wikipédia como material didático em História; iniciativas para usar a Wikipédia como trabalho e avaliação em aula.

aula 3 – Oficina de edição.

BIBLIOGRAFIA:
BOTTENTUIT Jr., João Batista; COUTINHO, Clara Pereira. Wikis em educação: potencialidades e contextos de utilização. Actas do Encontro sobre Web 2.0, Braga, 2008.
CARVER, Brian W., DAVIS, Rochelle, KELLEY, Robin T., OBAR, Jonathan A., DAVIS, LiAnna L. Assigning Students to Edit Wikipedia: four case studies, E-Learning and Digital Media, 9(3), 273-283, 2012.
CUMMINGS, Robert E. Lazy Virtues: Teaching Writing in the Age of Wikipedia. Nashville: Vanderbilt University Press, 2009.
GOMES, Maria Rodrigues. A ferramenta wiki: uma experiência pedagógica. Comunicação & Educação, XVII, n° 2, maio/ago 2007.

MARQUES, J. B. Trabalhando com a história romana na Wikipédia: uma experiência em conhecimento colaborativo na universidade. Revista História Hoje, no prelo.

OBAR, Jonathan A.; ROTH, Amy. The Wikipedia Public Policy Initiative: Exploring the Potential Benefits of Using Wikipedia in the University Classroom as a Tool for Innovative E-Pedagogy (Working paper – August 29, 2011).

SAORÍN PÉREZ, Tomás; DE HARO Y DE SAN MATEO, María Verónica; PASTOR SÁNCHEZ, Juan Antonio. Posibilidades de Wikipedia en la docencia universitaria: elaboración colaborativa de conocimiento. Ibersid – Revista de sistemas de información y documentación, vol. 5, 2011, p.
89-97.
VIEIRA, Marli Fátima Vick. A Wikipédia é confiável? Credibilidade, utilização de uma enciclopédia online no ambiente escolar. Dissertação (Mestrado em Educação) – Univale – Santa Catarina, 2008.
WANNEMACHER, Klaus. Experiences and perspectives of Wikipedia use in higher education, International Journal of Management in Education, vol. 5, no. 1, 2011, p. 79-92

056. O Texto Literário e os Historiadores: pesquisar e ensinar História a partir da Épica homérica e do Teatro grego

coordenador: Félix Jácome Neto – doutorando Estudos Clássicos – Mundo Antigo, bolsista CAPES, Universidade de Coimbra

EMENTA:

Este minicurso insere-se no conjunto de reflexões sobre a pesquisa e o ensino de problemáticas históricas a partir de textos literários, oferecendo como contributo uma análise das produções historiográficas das últimas décadas que ulitilizam os Poemas homéricos, a Ilíada e a Odisseia, e a Tragédia grega como fontes históricas. Estes textos diferem da nossa concepção privada de literatura advinda do romance contemporâneo, onde o texto é escrito por um autor individual e lido privadamente por um outro indivíduo. A Épica e o Teatro antigo, ao contrário, são produções marcadamente coletivas: a primeira é fruto de uma tradição de várias gerações de composição oral a partir de temas mitológicos, enquanto a segunda era composta para ser encenada em um festival público patrocinado pela cidade de Atenas, as “Grandes Dionisíacas”, onde centenas de cidadãos não apenas assistiam as peças de teatro, mas também participavam de rituais religiosos e cívicos. O minicurso, então, problematizará o tipo de evidência histórica que os historiadores distinguem nestas fontes e quais as principais temáticas históricas que os especialistas nestes textos literários têm trabalhado nas últimas decadas.

PROGRAMA:

AULA 1: Na primeira aula, serão discutidas as principais características linguísticas e literárias do épico homérico. O objetivo aqui é sublinhar que os historiadores que trabalham com este texto não estão lidando com um texto unitário, feito por um autor de uma só vez, como estamos habituados com nossa produção literária contemporânea. Antes, o texto que nós possuímos de Homero possui registros linguísticos, literários e históricos das várias épocas que o compuseram oralmente, sendo este fenômeno o ponto de partida de uma abordagem histórica que esteja ciente da particularidade do registro discursivo sobre o qual trabalha.

AULA 2: Nesta segunda aula, a discussão centrará sobre a historicidade dos Poemas homéricos, nomeadamente da sociedade representada e idealizada pelo universo ficcional dos Poemas. Será apresentado o “estado da arte” do debate relativamente à plausibilidade da “sociedade homérica” e ao período da história da Grécia que ela corresponderia. Serão, ainda, destacados alguns pressupostos teóricos e metodológicos que norteiam a caracterização e a periodização da “sociedade homérica” feitas pelos principais especialistas no tema, sendo reveladores da dificuldade encontrada pelos historiadores de reconstruírem a história de uma época com poucas fontes para além da obra literária.

AULA 3: Na última aula, o foco será a abordagem histórica da Tragédia grega.  Para tanto, serão feitas algumas considerações introdutórias sobre a relação da tragédia e da democracia de Atenas do século V a.C.  Em seguida, a ênfase será colocada, para além das alusões históricas contidas nas peças, no modo como a tragédia constrõe uma identidade helênica, masculina e cidadã a partir da contraposição aos excluídos da vida política, ou seja, os estrangeiros, as mulheres e os escravos.

BIBLIOGRAFIA:

DELEBECQUE, E. Euripide et la guerre du Péloponnèse, Paris: Klincksieck, 1951

EDWARDS, Mark. Homer: The poet of the Iliad. Baltimore; London: The Johns Hopkins University Press, 1988

FIALHO, Maria do Céu G. Zambujo. Os Persas de Ésquilo: História e Mito. Boletim de Estudos Clássicos, 24, 1995, p.21-38

GRETHLEIN, Jonas. Memory and material Objects in the Iliad and the Odyssey. Journal of Hellenic Studies 128, 2008, p.27–51

HALL, Edith. Inventing the Barbarian. Greek Self-definition through Tragedy. Oxford: Claredon Press, 1989

HARTOG, François. Evidência da História: o que os historiadores veem. Belo Horizonte: Autêntica, 2011

HOMERO. Ilíada. Tradução de Frederico Lourenço. Lisboa: Livros Cotovia, 2005

HOMERO. Odisseia. Tradução de Frederico Lourenço. Lisboa: Livros Cotovia, 2003

JOSHEL. Sandra R; MURNAGHAN. Sheila (orgs). Women and Slaves in Greco-Roman Culture: Differential Equations. London; New York: Routledge, 1998

NETO, Félix Jácome. A tragédia grega era uma instituição ideológica da democracia anteniense? Notas sobre o debate da função social do drama grego. Anais do  2º Colóquio de História e Arte: História, arte e religiosidade nos caminhos da educação. Recife: Editora Universitária da Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2012

PATZEK. Barbara; TEMPLE, Bill. The Truth of Myth: Historical Thinking and Homeric Narration of Myth. History and Memory 2. 1, 1990, p. 34-50

PELLING, C.  (org).  Greek  Tragedy  and  the  Historian.  Oxford:  Clarendon  Press, 1997

PEREIRA, Maria Helena da Rocha. A Questão Homérica. In: ESTUDOS DE HISTÓRIA DA CULTURA CLÁSSICA I: a cultura grega. 11.ª ed. rev. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2012

WINKLER, John  J.; ZEITLIN,  Froma  I.  (org). Nothing  to  do  with  Dionysos?  Athenian  Drama  in  its  Social Context. Princeton: Princeton University Press, 1990

Além desses mini-cursos, os alunos também poderão contar com mais duas opções:

006. A História Antiga e as fronteiras do conhecimento histórico

Coordenadores:
MARCIA SEVERINA VASQUES (Doutor(a) – UFRN), NORBERTO LUIZ GUARINELLO (Doutor(a) – Universidade de São Paulo)

013. Antiguidade e Modernidade: usos do passado

Coordenadores:
GLAYDSON JOSÉ DA SILVA (Pós-doutor(a) – Universidade Federal de São Paulo), RENATO PINTO (Doutor(a) – UFPE)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s